Anfetaminas

Substâncias com alto poder estimulante do SNC, obtidas em laboratório e, portanto, sintéticas. São muito utilizadas na composição dos medicamentos anorexígenos, aqueles formulados para inibir o apetite, muito utilizados nos regimes de emagrecimento. Sua ação é parecida com a da cocaína (diminuição da fadiga, taquicardia, perda do sono e do apetite) da mesma forma que os seus efeitos colaterais.

anfetaminas

As anfetaminas são drogas sintéticas, ou seja são produzidas em laboratório.

A primeira droga sintetizada foi a d-anfetamina em 1928. Depois desta, várias outras foram fabricadas. Existe também uma droga tipo anfetamina que é natural, usada por nativos do norte da África e do Oriente Médio. Ela é encontrada nas folhas de Khat, cujo nome científico é Catha edulis.

As anfetaminas foram introduzidas em 1930 e eram usadas para congestão nasal. Depois elas começaram a serem utilizadas no tratamento da depressão e na diminuição do apetite. Logo em seguida, foi descoberto o efeito de dependência causada pela droga e, com isso houve um controle e declínio do seu uso. Como consequência, ocorreu um crescimento da utilização da cocaína.

As anfetaminas interferem na dopamina e noradrenalina, que são neurotransmissores do  Sistema Nervoso. Essas drogas agem aumentando a liberação e diminuindo a recaptação desses transmissores. Com isso, aumenta a quantidade dessas substâncias e suas funções ficam exarcebadas no organismo.

A dopamina e noradrenalina possuem várias funções fisiológicas e comportamentais. Os estados de apetite, saciedade, vigília e funções psíquicas estão envolvidos. A ingestão de anfetamina causa insônia, perda de apetite e um estado de hiperexitabilidade. A pessoa se torna muito ativa, inquieta, e extrovertida.

No caso de uma dose excessiva, os efeitos se acentuam e a pessoa pode se tornar muito agressiva e ter delírios. Ocorre também aumento da temperatura, que em alguns casos pode levar a convulsões.

A anfetamina produz efeitos também fora do Sistema Nervoso. Nos olhos, ela provoca dilatação da pupila. No coração, há taquicardia e ocorre aumento da pressão arterial.

Fonte: http://www.unifesp.br/dpsicobio/drogas/anfeta.htm

Add a Comment